RSS 

 

BB já contratou R$ 1,5 milhão em crédito para compra de bens que facilitam vida de pessoas com deficiência
Notícias - Geral
Seg, 23 de Abril de 2012 14:51

O Banco do Brasil emprestou, até o último dia 13, R$ 1,5 milhão para a compra de bens e serviços que facilitem a vida de pessoas com deficiência. A linha foi lançada pelo banco em fevereiro deste ano, depois de aprovação do Conselho Monetário Nacional.

Entre os bens que podem ser financiados estão cadeiras de rodas (inclusive motorizadas), ampliadores de imagem, computador portátil braille e equipamentos de adaptação para veículos automotores. Para conferir a lista de bens que podem ser financiados, o interessado pode ir a uma agência do banco ou consultar o site http://www.bb.com.br/creditoacessibilidade.

Para ter acesso ao crédito, é preciso ser cliente do banco com limite de crédito aprovado, ter renda mensal bruta de até dez salários mínimos e limite de crédito disponível. A taxa de juros é 0,64% ao mês e o prazo para pagamento vai de quatro a 60 meses. O financiamento pode chegar a até 100% do valor do equipamento que beneficiará a pessoa com deficiência, no valor de R$ 70 a R$ 30 mil.

Antes de contratar o empréstimo, o cliente deve comprar o produto no estabelecimento comercial e pedir a nota fiscal em seu nome. Depois, é preciso levar a nota fiscal na agência para contratar a operação. Além da nota fiscal, é preciso ter em mãos os documentos pessoais como identidade, CPF, comprovante de renda e comprovante de endereço. Segundo o BB, uma dica é pedir desconto na hora da compra do bem, já que será pago à vista.

No último dia 19, o governo publicou no Diário Oficial lei com o valor da subvenção econômica de até R$ 25 milhões por ano para que instituições financeiras oficiais forneçam crédito para pessoas com deficiência. A lei permite ao governo subsidiar empréstimos para que pessoas com deficiência possam adquirir equipamentos, com recursos do microcrédito. Atualmente, os bancos são obrigados a destinar 2% dos depósitos à vista para o microcrédito. Agora, parte dos recursos pode ser destinada a esse tipo financiamento.