RSS 

 

Adidos Navais estrangeiros visitam a SUFRAMA
Notícias - Amazonas
Qui, 16 de Agosto de 2012 14:44

Uma comitiva composta por 15 adidos navais estrangeiros acreditados no Brasil,  quatro militares da Marinha e um oficial do 3º Distrito Naval estiveram na sede da Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA), na última segunda-feira (13), para conhecer o trabalho da autarquia com vistas ao desenvolvimento da Amazônia Ocidental, ao promover sustentabilidade, tecnologia e inovação à região.

Liderada pelo Capitão de Fragata, Sérgio Lucas, a comitiva foi recebida pelo superintendente em exercício, Gustavo Igrejas, e pelo coordenador geral de Acompanhamento de Projetos Industriais da SUFRAMA, Jorge Júnior. Igrejas apresentou um breve histórico do desenvolvimento da região ao longo dos 45 anos da existência do Modelo Zona Franca de Manaus (ZFM), falou dos incentivos fiscais que são concedidos às empresas que desejam se instalar no Polo Industrial de Manaus (PIM), e as contrapartidas exigidas pela autarquia. Ele também fez um balanço dos indicadores econômicos do PIM nos últimos anos e destacou as contribuições do modelo ZFM para a conservação de 98% da floresta do Estado do Amazonas.

A visita à autarquia integra a viagem de observação dos adidos navais estrangeiros acreditados no Brasil à Região Norte, coordenada pela Marinha do Brasil, onde a comitiva visita os Estados do Amazonas e Pará, no período de 13 a 18 de agosto. Os adidos são de países diversos, como Chile, Venezuela, Peru, África do Sul, Paraguai, Portugal, Argentina, Itália, entre outros.

De acordo com o comandante Sérgio Lucas, a SUFRAMA foi o primeiro órgão  visitado. “Procurei um órgão que representasse o espírito do que é Manaus, no sentido de que há 45 anos, por uma visão do governo federal, buscou-se esse tipo de incentivo e de ocupação saudável, para a sociedade e para o país. É muito importante que os adidos tenham uma noção bastante clara do que representa Manaus para a região e para o Brasil, antes de visitarmos os órgãos militares”, afirmou.

 

Leia a Edição Atual

amazonia 43.png