RSS 

 

Liberdade: peixes-boi serão devolvidos à natureza em comunidade do Amazonas
Notícias - Amazonas
Ter, 31 de Julho de 2012 11:53

Foto: Carolina Oliveira

Na região do Médio Solimões, no Estado do Amazonas, onde a caça de peixe-boi para subsistência ainda é uma realidade, o Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá adotou uma iniciativa para reabilitar e devolver à natureza peixes-boi feridos ou filhotes órfãos. Desde 2008, o Instituto mantém na Reserva Amanã, em território pertencente ao município de Maraã, o Centro de Reabilitação de Peixe-Boi Amazônico de Base Comunitária, o “Centrinho”.

A equipe do Centro de Reabilitação, composta por pesquisadores do Instituto Mamirauá e moradores de comunidades ribeirinhas, se prepara para o seu maior desafio: o primeiro evento de soltura de peixes-boi do Centrinho, que será realizado no dia 18 de agosto.

Cinco peixes-boi em estágio avançado de reabilitação serão devolvidos à natureza. A soltura acontecerá no Lago Amanã, próximo à comunidade Bom Jesus do Baré, onde o Centrinho está localizado. O evento deverá ser acompanhado por dezenas de moradores de comunidades ribeirinhas, que deverão colorir o lago Amanã com seus barcos.  Cada peixe-boi tem nome e sobrenome, o qual remete à localidade de origem do animal: Piti Aranapu, Alagoilton Solimões, Jovenal do Boia, Negão Canamari e Benguela Ponto X.

Piti, o primeiro peixe-boi do Centrinho, está sob os cuidados do Instituto Mamirauá há quase cinco anos. Os pesquisadores do Instituto acreditam que, aos seis meses de vida, Piti tenha ficado órfão, após sua mãe ter sido alvo de caça. O pequeno peixe-boi ficou preso acidentalmente a uma rede de pesca e foi entregue à instituição de pesquisa pelos próprios pescadores. Os outros animais do Centrinho têm estórias semelhantes.

“Os animais soltos em ambiente natural serão acompanhados por telemetria, utilizando-se um cinto instalado na cauda de cada indivíduo. Este procedimento permitirá o monitoramento dos animais e a comparação de suas rotas de deslocamento com as conhecidas para animais de vida livre, sendo uma ferramenta essencial para a avaliação do sucesso do processo de reabilitação ao qual foram submetidos”, afirma a veterinária Carolina Oliveira, que trabalha no Centrinho.

Este será o segundo evento de reintrodução da espécie promovido pelo Instituto Mamirauá: há 12 anos, atendendo a uma situação emergencial (à época, ainda não havia a estrutura do Centrinho), pesquisadores do Instituto realizaram a primeira soltura de um peixe-boi reabilitado na Amazônia.

As atividades do Centrinho recebem o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Ambiental.

Texto: Augusto Rodrigues / Instituto Mamirauá

 

Leia a Edição Atual

amazonia 43.png